segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

domingo, 20 de dezembro de 2009

Petit Gâteau

Quero minha inspiração de volta.
Então, quero inalar-te o máximo tempo possível,
para guardar o cheiro dessa paixão.
Sabendo que ela ainda não acabou
sabendo que está para começar.
E por que não passar as noites em claro?
Se sei que quero sentir-te o quanto for possível.
Então, vem e desperta-me para o amor.
Quero que me dê amor.
Quero ouvir-te, ouvir teus sons do amor.
Aqueles mais desesperadores,
mais... mais...
apaixonantes.
Não posso te esquecer tão rápido.
Pois o que nos une e nos separa
é o que persiste entre nós.
Não vou desistir de você.
Nunca vou desistir de você.
Nem que para isso eu tenha que dormir anos e anos
ao som da tua doce voz.
Nem que para isso eu tenha que tentar entender
porque a vida nos mostrou assim.
Tão... tão distantes.
Tornando-nos na vida pessoas contrárias.
Em hemiférios diferentes.
Em tempos diferentes.
Em climas diferentes.
Em estações diferentes.
Tornando-nos, assim, a perfeita combinação.



quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Devaneio

Tudo era tão imaginado do jeito que ela queria, e queria que aquilo tudo fosse perfeito. Quando desembarcou daquele voo longo e sufocante não imaginou que ele realmente estaria lá. Ela saiu do avião, pegou as bagagens de mão do bagageiro, foi à sala de malas, não pode deixar de reparar o quanto elas demoram rolando na esteira. Pegou-as e prendeu a respiração. Sim! Puxou todo o ar e foi com toda a coragem que nela havia. Saiu. No meio de tanta gente, ela viu. Impossível não reconhecê-lo, com aqueles cabelos escuros, desgrenhados, para serem cortados, jogados no rosto, de um jeito qualquer que ela gostava. Impossível não reconhecê-lo, com aquele sorriso, que ela sempre viu sendo uma retribuição do seu, mas nunca fora real. Ele era seu desejo mais impossível, um tipo de sonho reprimido que só iria acontecer de uma maneira com duas opções. Ou ela realmente conseguiria viajar, ou ela sonharia com a realidade acontecendo. Ele estava lá. Sim! Com seu mais lindo e audacioso sorriso, sua camisa de botão quadriculada, seu jeans escuro e seu olhar terno. Fora a primeira vez que ela vira aquele olhar, um olhar real. Ela correu. Deixou bagagens, deixou passado, e correu. Como se a saudade estivesse sendo esgotada por completo. Aquela saudade que nunca existiu, de fato, mas era realmente sentida em algum lugar do coração, ela era carnal. O abraço foi retribuído com tal carinho e amor que recebeu. E eles olharam-se, ela com aqueles profundos olhos castanhos, que sempre diziam mais do que as suas próprias palavras conseguiam dizer, e ele com aqueles olhos verdes tão leves que ela seria capaz de mergulhá-los, tão fundo quanto mergulhar na imensidão do mar esverdeado. Falar? O quê? Já sabiam mais do que esperavam saber. Ela tinha muitas dúvidas, elas seriam questionadas a qualquer momento. Esse momento era muito mágico e surreal para ser encharcado de perguntas. Ele tinha mais ainda de curiosidade, mas seria deixada de lado. Eles deram-se as mãos e foram. Guardadas as coisas, vagaram no carro dele por algumas horas. Chegando lá, mal esperaram a porta abrir, beijavam-se feito dois amantes. E fizeram amor, o quanto puderam, o quanto quiseram. Para matar as saudades daqueles momentos íntimos e intocados. Ele adormeceu, ela olhou-o com ternura, e amor, e vontade, e saudade. Um ao lado do outro, os dois ficaram intimamente juntos. Abraçados. De repente, ela acordou atordoada, onde ele estava? Reparou ao redor. Pensando bem, na casa dele não havia parede cor-de-rosa. Claro que não. Sua opção não foi a mais provável, mas sim a mais possível. Ela tornou a dormir.

17 de Outubro de 2009
Liala Leão

domingo, 11 de outubro de 2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Sorte de hoje: Um dia sem sorrisos é um dia perdido

Orkut.
Mensagem.
Então, deduzo que nada é em vão.
"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena" Fernando Pessoa.
Por isso eu sorrio.
Sempre

sábado, 29 de agosto de 2009

Inquieta

Acho que a tosse, os remédios estão a deixar-me irriquieta.
Ou a vontade de te ter.

Espero o impossível possível

Espero o impossível torna-se possível
E enquanto isso não vem, espero.
Espero com toda a esperança
De que esse dia, algum dia chegue.
Enquanto isso, espero.
Aguardo ansiosamente até esse dia.
Poder ver aquilo que já vejo,
Sentir aquilo que já sinto,
Fazer aquilo que já faço,
Com mais uma pitada.
Pitada de realidade.
Enquanto isso, espero.
Tocar em teus dedos,
Entrelaçar minha mão na sua,
Juntar os corpos que já estão unidos,
Eternizar sua boca à minha.
Enquanto isso, aguardo.
Contar estrelas todas as noites,
olhar no céu iluminado,
ver-me refletida em ti.
Enquanto não vem, espero.
Movimentar algo que já é movimentado,
Conversar sobre você,
Conversar sobre mim,
Conversar sobre nós.
Enquanto isso, aguardo.
Com a esperança de que um dia isso
Realmente, possa acontecer.
Por enquanto sonho,
Sonho um sonho impossível
Possivelmente realizável.
Sonho.
Esperando o impossível possível.

Liala Leão - 16/08/09

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

sinto-me como Bandeira.

Tosse, tosse, tosse.
Pensei em tudo que podia fazer da vida, mas não fiz.
Só me falta dizer trinta e três, trinta e três, trinta e três.
Pronto! Descobri! Dr. Manuel disse que tenho uma escavação no pulmão esquerdo e o direito infiltrado.
Não sei, naõ sei, mas acho que não tenho mais jeito.
Melhor dançar um tango argentino. Ou, pelo andar da minha carruagem, um rock pauleira deve resolver.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Amo-te

Amo-te
com todos os pronomes no lugar correto
com cada letra no lugar certo
com você em mim cada vez mais perto
mesmo sabendo do nosso futuro incerto
Amo-te

Liala Leão

Aliteração

Liala Leão
coincidência ou não
é a minha aliteração.

Liala Leão

Calafrio

Shhhhhhhhhhhhhhhh...
Cala frio!
Senão percebem-me.
Se quiser me surpreender,
Aí então,
Calafrio!

Liala Leão

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

ilusão

gostaria nessa vida
ser um dia, feliz
sonho mesmo intensamente
fazer o que bem quis

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Nada é impossível, depende do nada e do impossível.

Tudo o que você quer na vida, dependendo de quem você seja, tem.
Bem, se esse você, fosse eu, realmente teria.
Mas se tudo o que Liala quer na vida, e ela falasse que não tem, seria surpreendente, mas não tem.
Quero algo impossível, que é possível, mas impossível. Esse algo é alguém que está perto o suficiente de querer e longe o suficiente de poder. Então se você quer algo na vida, e se seu nome for Liala, você consegue, caso contrário, impossível.
Este tudo que é meu está invadindo a minha vida, e como sabe, está tão presente mesmo estando longe. Por isso, eu quero. Porque quero. E quero. Quero mais. Quero sempre.
Este impossível, me impossibilita de poder, não de querer. Então quero.
Quero até quando Deus aponte seu dedão no meu nariz e diga: "Acorda!". Eu, provavelmente, irei acordar, mas com certeza, vou querer mais.
E sempre e tudo.
Nada é impossível, logo tudo é possível.
Então quero.
Quero muito.
Quero sempre.
Quero tudo.

voltar

Depois de uma viagem ao Rio de Janeiro, nada melhor do que estar de volta, na terrinha.
E melhor ainda, sentir mais saudades de quem está longe.
Muitas saudades.

=*

quarta-feira, 8 de julho de 2009

domingo, 28 de junho de 2009

ver o mar.

Meu amor, você sabia que quando eu acordo eu vejo o mar?
Me traz um alegria.
Me sinto mais feliz.
Meu amor, você sabia que quando trabalho eu vejo o mar?
Mesmo ele perto e longe.
Eu o vejo.
Meu amor, você sabia que quando estudava eu via o mar?
A brisa nos cabelos,
Conversas ao vento.
Pois é, meu amor.
Lembro-me das tardes
Do amor, do mar.
Meu amor, você sabia que quando eu te amava
eu via o mar?

Liala - out/2007

sábado, 27 de junho de 2009

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O tempo não para.

Difícil é acreditar que a vida pode se estagnar no tempo. Michael Jackson pensou isso. Pensar que ser criança para sempre iria dar resultados. Acho que estou com problemas por um fator crucial. Devo deixar de ser criança, pois tenho medo disso que aconteça com pessoas que não querem crescer. Viver na Terra do Nunca, no mundo da fantasia. O complicado é, eu ainda estou impressionada, por isso desde hoje não paro de pensar na morte, na vida, na infância, no tempo, nada volta. Michael não morreu, e eu só estou ouvindo coisas demais nas televisões sensacionalistas. Ele quis ser Peter Pan, e eu quero ser a sininho. Não quero crescer. Talvez, por isso, que estou até agora assim, em estado de nervos. Choque. Vai passar, tudo passa (Kelly disse que até a uva passa - não querendo rir num momento trágico - mas dando um ar mais animado num clima que deveria ser), só mesmo não queria que o tempo passasse. Mas ele também passa. Infelizmente. O menino que não cresceu, o adulto que era menino, esse era Michael Jackson. A menina fantasiosa, essa sou eu. (Todas estrelas têm a sua luz apagada, um dia cada um terá a sua - essa foi a vez dele)



Descanse em paz.

Um dia todos seremos pó. Todos.

Odeiam-me quando digo isso, mas eu serei breve.

(voltarei, amanhã, acho eu, que voltarei a ser a mesma Liala, animada e de bem com a vida que sempre sou - ou quase sempre)

[vazio]

O vazio da tarde ainda permanece, me invade, e me deixa de certa forma infeliz. Já disse, e volto a repetir, não sei porquê estou assim. Ai, que angústia que está a invadir o meu coração. Quem dera se não for a alma. Sinto-me mal, para baixo.
(acho que agora, algo começa a me reanimar, algo de longe)
Mas ainda sim, continuo para baixo, deve ser saudades.
Saudades de coisas que se foram ou não, saudades de que coisas que estão perto ou não.
Não sei como acabar com esta saudades, saudades que não se matam, saudades que não voltam.
Pessoas que se foram, pessoas que estão aqui.
[vazio]
[vazio]
[vazio]

medo

Sinto algo ruim. Acho que algo triste. Não sei se o que está acontecendo no mundo está influenciando, está me afetando. É tudo tão confuso. Mas esse "brungundu" em torno da morte de Michael Jackson. Eu falei dele na quarta e na quinta, e de repente 'vap', quase nunca falei dele e quando vê isso. Não estou triste pela morte dele, mas impressionada, e a um pouco tempo, angustiada. Eu dancei Thriller, ahhahahahahaha, foi engraçado, e ridículo. Isso me fez perceber o quanto nós temos na vida, e que tudo acaba. Não adianta querer viver mais do que se deve, não vai. Morre-se. Sei que nunca morri (estou sendo irônica), mas lá, Ele sabe que não quero viver tempo o suficiente para me ver velha (não que que não queira, mas acho que não aceitaria). Acho que era assim que ele se sentia, no seu universo "Neverland".
---
"Tudo passa, tudo passará" - Legião Urbana.
---


E lembrando morte recente, dedico o meu pesar e a minha tristeza ao meu tio, que tanto amei, não muito fiquei com ele, e que cedo foi. Saudades. ='(

quinta-feira, 25 de junho de 2009

doce vida.

Bonitinho é ver uma criança sorrir, andar na rua e não vê-la passar, olhar as pessoas felizes se beijando, é ver o sol nascer, é ver o mesmo enorme e ardente sol se pôr, é olhar para as estrelas e observar o quanto elas brilham, é sorrir para as pessoas e ver o mesmo belo sorriso sendo retribuído, é amar calorosamente alguém, é dar um abraço apertado, é apreciar o mar, sentir a brisa e perceber o quanto ela é fresca, é pensar tanto, tanto em alguém que você gosta, é ser feliz sem medo de que o dia acabe, é comer chocolate e saber que tem sempre mais para depois, é sair com as amigas e ver que tudo que viveram foi divertido, é assistir a um filme romântico e chorar no final, é dançar desesperadamente por uma música que você gosta, é cantar debaixo do chuveiro como se ninguém estivesse ouvindo, é pular sempre que der no pula-pula do Mirabilândia, é se divertir como criança quando puder voltar a ser criança, é ajudar a alguém, dar mão a quem precisa, é ver um cachorrinho com cara de pidão, é tentar fazer de cada minuto o último, é tentar ser feliz.
essa é a minha doce vida.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Aceite-os

Se em um dia, alguém queira dar-lhe beijos, aceite-os.
Porém, se algum dia, esse alguém esteja longe o suficiente para dar-lhe beijos, aceite-os mesmo assim. Ele, provavelmente, irá mandar você contar estrelas. Dependendo do dia, aceite-os. Mas caso aconteça em dias chuvosos, aceite-os. É só substituir as estrelas pelas gotas. Mas caso você não queira gotas, e as estrelas continuem escondidas de você no céu, aceite-os. É só contar as estrelas que você terá no seu quarto ou no seu coração que tudo se resolve.
Portanto, se alguém queira dar-lhe beijos. Aceite-os.

Liala Leão

sexta-feira, 12 de junho de 2009

"Meu mundo caiu"

Nada mais do que Maísa para embalar a minha solitária e triste noite de dia dos namorados... sem namorado. Não sei o que faço, mas hoje o que tinha perdi. E por quê? Eu não sei. Tudo acontece na vida, mas na minha eu vejo que isso deixou de ser sinal de bondade para ser um sinal de perseguição de Deus. Não sei o que faço, não sei para onde olho, pessoas falam e o meu mundo está surdo, pessoas gesticulam e o meu mundo está cego. Eu tento responder, e meu mundo está mudo. Vida? para que server esta droga de palavra se ao menos não dá a mínima esperança se vamos ser felizes, pelo menos por um dia, pelo menos por um instante. Esse meu instante não se entitulou sempre, mas se entitulou foi bom enquanto durou. Ai, o amor, machuca, magoa, engana, trái, ama, e no fundo, no fundo sente, sente uma fisgada de decepção, de dor no coração... de uma vida sem amor. Eu perdi o meu, não sei onde ele anda mais, e o engraçado é que do mesmo jeito cruel e repentino que começa, acaba. Porque tudo que se inicia... acaba. É como um show... um show sem plateias. E agora, um show sem atores. PARE DE CHORAR!!! 'Anda garota' é o que me dizem, é o que eu digo para mim mesma, mas é tão difícil ter de pensar em tudo que passou... que não mais voltará... não vai ficar para trás sem memória, mas será, com certeza, uma memória boa e dolorosa. Infelizes aqueles que amam, pois nunca encontrarão o amor. Por isso eu sofro, eu amo. Guardarei para sempre você em algum lugar do coração... espero que depois de um tempo num lugar bom, mas que seja num lugar que as lembranças mais lindas de minha doce vida nunca sejam deletadas. E em cada lágrima que rolar, farei com que vire gotas de chuva que caem ao fim do dia e que tornam-se a ser orvalhos na manhã do próximo dia que virá. Amo-te como nunca amei ninguém. Fato que estará sempre em minha vida. Onde eu estiver, haja o que houver, sempre.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Meu mundo estranho

A ideia de mudar o nome do blog foi pelo fato de deixá-lo mais pessoal. Eu sinto, sim, o meu mundo estranho. Tão difícil e complicado tentar entender o que se passa ao meu redor. E ter que concordar que a palavra 'volátil' responde as minhas questões. Ultimamente estava sendo complicado até eu parar na internet, mundo que transforma, liga, conecta, manda, passa, muda e faz. E foi neste mundo que estou pousando novamente, tentando fazer do tempo algo que eu não vejo passar. Então é aqui que exponho minhas poucas linhas, é aqui que desabafo com meu eu, é aqui que transpasso os sentimentos (modernidade), mas é aqui que me sinto bem. Au revoir.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Histórias no Metrô

Outro dia, no metrô, estava eu indo pegar o ônibus para ir à faculdade, sabe como é estudar longe da nisso. Mas reparar que todos dentro dele parecem e aparentam verdadeiras moscas-mortas. É isso mesmo moscas-mortas, mas a questão é porque todos aparentam ser nada, olhando para o tempo, perdidos no espaço. Quem sou eu? Onde estou? Mas só aparentam. Sabe por quê? Sei que cada leva a sua vida, talvez até, na sua santa infelicidade. Infelizes e cabisbaixos eles olham para o infinito, sem saber os problemas que se encontram lá.

Liala

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Coinscidência

Sem querer tomar as palavras de 'Crepúsculo', faço em parte minhas as de Bella.
E o que foi pensado, digo, sonhado nas próximas linhas fora algo que surgi de minha mente.

"Esta noite foi a primeira vez que sonhei com Edward Cullen.
E ele me beijou.
Beijou com tanta intensidade que senti sua vontade tempestuosa de querer me ter para todo o sempre. E a partir de hoje eu almejo continuar sonhando com ele."
L. Leão

domingo, 11 de janeiro de 2009

Texto Fútil

Quem sabe o que é contar uma história, mas o mais interessante é ouvi-la.
ontem, tive que atender aos caprichos de minha mãe ao ir de volta à minha casa, o mais óbvio é por eu não está nela, mas atendi ao seu chamado.
O chato foi voltar a falar no chat do Uol com pirralhas para tudo quanto é lado, tudo em nome da pesquisa. Mas enfim, voltando a história.
O sonho dela até que foi diferente, não diria engraçado, mas um tanto quanto peculiar.
Sendo ela melhor acmiga de Pedro Bial, ela se viu triste, ao reencontrá-lo, e chegou a confessar a ele sua tristeza. Por conta do novo BBB, ela disse à Bial porque estava decepcionada, já que ela havia gravado uma vinheta para o novo programa que serpa implantado na TV. Mas não deixaram ir, porque ela havia questionado: " Ô Bial, o que você está fazendo nesse programa tão chato (eu diria fútil) se és tão inteligente?"

-Faz todo o sentido no final das contas-